Skip to main content

Se existe algo que possa chegar perto da “fórmula mágica” para a geração de riqueza no mercado financeiro, essa coisa são os juros compostos.

Para você que deseja saber o que é, como calcular, como aplicar os juros compostos em seus investimentos e de que maneira ele pode favorecer seus investimentos e acelerar sua jornada como investidor, esse blog é para você!

poder-dos-juros-compostos-ao-longo-do-tempo

O que são os juros compostos?

Quando falamos de juros, muitas vezes o que nos passa pela cabeça é logo o impacto negativo que eles podem ter para quem contrata algum empréstimo ou financiamento.

Porém os juros também têm um lado bom e podem – e devem – ser usados por todos aqueles que desejam acelerar a rentabilidade de seus investimentos.

De forma simples, juros compostos pode ser resumido em apenas uma frase: são juros aplicados sobre juros.

São muito importantes para o mercado financeiro pelo fato de a maioria das operações e produtos financeiros vendidos em bancos e corretoras usarem os juros compostos como base de cálculo.

É importante que o investidor tenha noção do poder e da força que esse tipo de remuneração pode ter sobre sua carteira de investimentos porque, dessa forma, a ideia de investir passa a ser mais atrativa e, com isso, a motivação para seguir investindo de forma estratégica virá cada vez mais forte.

Como funcionam os juros compostos?

Existe um ditado popular muito antigo que explica muito bem sobre os juros compostos:

“Juros compostos são a oitava maravilha do mundo – quem entende, ganha, quem não entende, paga.”

Apesar de não sabermos quem foi o autor da frase, podemos dizer que ela é bem fiel à realidade, afinal os juros compostos podem ser tanto bons quanto ruins para o seu bolso, tudo depende de como ela está presente em sua vida. Entende o por quê?

Para quem vive acumulando dívidas, os juros compostos são a forma mais rápida de acabar com o valor do seu capital e, ao mesmo tempo, te trazer dores de cabeça, ansiedade e outros tipos de desconfortos.

Quem utiliza os juros compostos em suas estratégias de investimentos tendem a se afastar cada vez mais da pobreza, aumentar seus ganhos recorrentes com os ativos que têm em carteira e, além de tudo isso, têm mais chances de driblar a inflação e fazer seu patrimônio crescer de forma exponencial.

Essa é a diferença de quem usa bem e quem não usa de forma alguma. Os juros compostos podem ser tanto um mecanismo para ganhar dinheiro quanto para perdê-lo.

Como calcular os juros compostos?

Os juros compostos são calculados a partir da seguinte fórmula:

M = C (1+i)ⁿ

Se você não entendeu desse jeito, leia desse jeito:

Montante final = capital investido x (1 + taxa de juros) elevado ao período de tempo

Nesse caso, o “capital investido” é o valor inicial do investimento, o montante é o resultado final do capital investido acrescido de juros. A taxa de juros é dada em uma porcentagem, que valerá por um período de tempo previamente definido, geralmente representada pelo número de meses.

Vamos aos exemplos:

Imagine que você aplicou R$5.000 em um investimento que te remunera com uma taxa de 1% (que no cálculo estará escrito como 0,01) ao mês por 12 meses.

Fazendo o cálculo de juros compostos, teríamos a seguinte conta:

Montante final = 5000 x (1 + 0,01)¹²

Montante final = 5000 x (1,01)¹²

Montante final = 5000 x 1,12

Montante final = R$ 5.634,13

Nota que do 1% ao mês gerou, ao final de 12 meses, uma diferença real de 12,68% quando aplicamos os juros compostos?

É essa diferença que torna os juros compostos tão eficiente ao longo dos anos!

O Banco Central do Brasil possui uma ferramenta gratuita que calcula simulações de investimento com juros compostos! Clique aqui e acesse já essa ferramenta.

Juros simples x Juros compostos

Apesar de ser igualmente bom e poder, também, ser usado em favor do investidor, os juros simples tendem a ser menos efetivos do que os juros compostos dado que, neste método, a taxa de remuneração é fixa e atrelada, sempre, ao valor inicial investido, diferente dos juros compostos.

Nos juros compostos, a taxa de remuneração é calculada sempre em cima do último valor calculado e é exatamente esse ponto gera a exponencialidade nos investimentos.

Todavia, ainda vale apontar o que são os juros simples, como calculá-lo e quais ativos contam com esse tipo de remuneração:

A fórmula dos juros simples

O juro simples é uma taxa previamente definida e que incide somente sobre o valor inicial e, nesse caso, terão duas fórmulas que podem ser utilizadas.

Primeiro, a de calcular os juros:

J = C × i × t

Segundo, a para descobrir o valor final com os juros:

M = C + J

Para entender melhor, leia assim:

  • M = montante (valor final)
  • J = juros simples
  • C = capital investido
  • i = taxa de juros
  • t = tempo de aplicação

Vamos a um exemplo:

Imagine que você aplicou R$5.000 em um investimento que te remunera com uma taxa de 12% (representado aqui por 0,12) em 1 ano.

Nesse caso, o cálculo seria o seguinte:

Juros simples = 5000 × 0,12 × 1

Juros simples = R$ 600,00

Agora calculando o valor final:

Montante = 5000 + 600

Montante = R$ 5.600,00

Apesar de interessante para o nosso bolso, aqui não temos a exponencialidade oferecida pelos juros compostos. Todavia, segue sendo uma das formas de ganhar dinheiro no mercado e fazer seu patrimônio render.

Como aplicar juros compostos nos investimentos

Existem, principalmente, duas formas de aplicar estratégias de juros compostos em seus investimentos.

Reinvestir os ganhos

A primeira é uma das favoritas entre os maiores investidores do mundo e ela é simples: basta reinvestir os ganhos advindos de investimentos na compra de mais ativos.

Toda vez que algum ativo de sua carteira te remunerar com dividendos ou qualquer outro tipo de provento, em vez de resgatar esse lucro, investir esse ganho na compra de mais investimentos fará com que seu capital cresça cada vez mais.

Basicamente, dessa forma, toda vez que você reinvestir seus ganhos, nos próximos pagamentos que você receber proporcional a o que tem investido, e se sua carteira estiver maior toda vez que você for receber seus proventos, cada vez mais você será recompensado com mais capital. Incrível, certo?

O maior investidor do mundo, Warren Buffett, denomina essa prática como “efeito bola de neve”, que nada mais é do que fazer com que seus investimentos, tal qual uma bola de neve descendo uma montanha, comece pequena e, aos poucos, vá crescendo com o tempo a ponte de chegar a um tamanho inúmeras vezes maior do que era no começo.

Invista frequentemente

Esse método é, na verdade, um hábito comum entre os grandes profissionais do mercado.

Nesse caso, além de reinvestir os ganhos, é recomendado que invista sempre que possível e, de preferência, com uma certa cadência certa, a fim de forçar esse movimento dos juros compostos e favorecer o movimento dos juros compostos.

Estabeleça um período que seja coerente para você investir e se mantenha fiel à esse período.

Desse jeito você cultiva o hábito de investir e, com o tempo, o processo se tornará menos mecânico e mais automático.

Seja semanalmente, mensalmente, anualmente ou diariamente, definir uma frequência à seus investimentos trará apenas benefícios para seus investimentos no longo prazo

Vale a pena investir focando em juros compostos?

Nesse ponto, a resposta é óbvia: investir pensando nos juros compostos só trás benefícios para o investidor.

Tendo paciência, disciplina e o conhecimento necessário, aliar estratégias de juros sobre juros à seus investimentos trarão acúmulo de riqueza e potencializará seus rendimentos.

O investidor que conhece o funcionamento dos juros compostos e o aplica em sua carteira está a frente de maior parte do mercado justamente por não se contentar em deixar seu dinheiro parado, perdendo para o inflação.

É óbvio que, apesar de ser o mais próximo que temos de uma “fórmula mágica” para vencer no mercado financeiro, ninguém ficará rico do dia para a noite aplicando os juros compostos.

Por isso é preciso de paciência. Para poder desfrutar dos benefícios, é preciso que o investidor tenha visão de longo prazo.

E, por conta disso, aqui está mais uma dica: o quanto antes começar a investir pensando em juros compostos, mais tempo terá para acumular o capital e aplicar as estratégias mencionadas nesse texto.

O que acha de ter um profissional do mercado ao seu lado te apontando onde estão os melhores investimentos para você aplicar os juros compostos e criar sua própria “bola de neve?”

Converse com um de nossos assessores de investimentos e tenha uma carteira de ativos personalizada para suas necessidades e acelere sua jornada como investidor!

Clique aqui e converse com nossos assessores!

Deixe um Comentário