Skip to main content

Os benchmarks nos investimentos são crucial para avaliar, comparar e ter trazer mais clareza ao investidor na hora que examinar os resultados de seus ativos em carteira.

Você sabe o que significa benchmark no mercado financeiro e qual a sua importância para a análise de investimentos? Leia o texto abaixo e entenda como usá-lo a seu favor!

Pessoa fazendo benchmarking entre seus investimentos e os índices de referências

O que é benchmark?

No mundo dos investimentos, benchmarks são índices de referências usados por investidores e analistas de mercado para avaliar como um ativo ou carteira de ativos se comportou quando posto em comparação com a média do mercado em que eles estão expostos.

Em outras palavras, benchmarks servem como uma régua para medir a performance de um mercado em específico.

Eles são de suma importância para o investidor pois para saber se uma carteira está rendendo bem ou não, a melhor forma de fazer isso é ter alguma medida que possa ser usada de indicador para definir se aquele portfólio de ativos está ou não valendo a pena.

Para cada classe de ativos, há um benchmark diferente. É fundamental conhecer quais os indicadores que temos para comparar a carteira com as referências corretas.

Mais para frente nesse texto traremos quais os principais referenciais para cada classificação de ativos!

Qual a função dos benchmarks nos investimentos?

Além de indicar qual a média de performance de um mercado em específico, os benchmarks são importantes para o investidor avaliar suas estratégias de investimentos e, através disso, definir se faz sentido mudá-las ou não de acordo com os ciclos de mercado.

Ao mesmo tempo, podemos dizer que os benchmarks são importantes para que o investidor saiba a média aproximada de quanto suas aplicações podem render ao longo do tempo.

Essa média pode variar de mercado para mercado, mas no caso de investimentos em renda fixa, as rentabilidades dos benchmarks e dos ativos em si são, geralmente, bem próximos.

Tipos de benchmarks no mercado financeiro

Como dissemos anteriormente, cada classe de ativos possui um benchmark diferente e para de fazermos comparações mais justas, devemos saber quais ativos se encaixam em cada referencial.

Podemos classificar os benchmarks de investimentos em três classificações principais: índices inflacionários, de renda fixa, cambiais e acionários

Índices inflacionários

Esses são índices que medem as altas e baixas dos preços de produtos e serviços no Brasil, sendo as principais métricas que indicam a inflação no país.

Nós, da W1 Capital, já fizemos um artigo em nosso blog falando sobre inflação. Clique aqui para acessar a matéria.

IPCA

Sigla para Índice de Preços do Consumidor Amplo, esse índice é calculado pelo IBGE e é dada como a “inflação oficial brasileira”.

O IPCA pode ser usado como benchmark tanto para os investimentos em renda fixa quanto para os de renda variável. Isso se deve porque ele representa o poder de compra do Real Brasileiro, logo sua variação afeta diretamente os rendimentos e lucros obtidos pelo investidor.

Isso é tão verdade que a inflação é inclusa na conta quando calculamos a Rentabilidade Real de uma aplicação. Para entender melhor sobre como calcular a rentabilidade e um investimento, acesse esse artigo da XP Investimentos e descubra mais sobre o conceito de rentabilidade para o mercado financeiro

Além disso, o IPCA também é usado como indicador de alguns títulos de renda fixa pós-fixados, tal como certas debêntures e Tesouro IPCA+.

IGP-M

Além do IPCA, outro índice inflacionário importante é o IGP-M, que é informalmente conhecido como “a inflação dos aluguéis”.

Sigla para Índice Geral do Produtor, esse indicador é calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP) e observa a oscilação dos preços de matérias-primas agrícolas e industriais, além de leva em conta, também, alguns serviços.

Ele influencia na conta da população pois é a principal referência para o reajuste de aluguéis e tarifas de energia elétrica

Por ser mais relacionada à indústria, esse índice afeta o consumidor final (o brasileiro médio) de forma mais indireta. Por conta disso vem em segundo lugar nos índices inflacionários no Brasil, mas segue sendo muito importante pois tem um papel importante na formação de preços de produtos e até no nosso câmbio com o dólar americano.

Por ser relacionado à aluguéis, o IGP-M é um benchmark importante quando são feitas análises de Fundos de Investimentos Imobiliários, os FIIs, e isso se deve ao fato de muito desses ativos (principalmente os FIIs de tijolos) remunerarem seus cotistas com base nesse índice inflacionário.

Índices de renda fixa

Quando o assunto é benchmark, podemos usar os índices inflacionários para comparar rentabilidade de ativos em renda fixa também, mas existe um indicador que se destaca quando falamos de renda fixa: o CDI.

Sigla para Certificado de Depósito Interbancário, o CDI é comumente usado para apresentar rentabilidade de títulos de renda fixa pós-fixados.

O CDI é a taxa média de juros de empréstimos feitos entre instituições financeiras e usa a Taxa Selic, que é a taxa básica de juros do país, como baliza para definir qual a meta dessa taxa. No artigo Inflação: o motivo para você começar a investir agora, presente em nosso blog, falamos mais profundamente sobre Taxa Selic.

Todavia, vale falar que a Selic e o CDI andam juntos, dado o valor das duas sempre são bem próximos. Isso pode ser notado comumente quando nos deparamos com ativos que rendem 99, 100, 110% do CDI ou até mais.

Esses exemplos de porcentagens são nada mais do que médias de performance que aquele ativo tem. Quando um ativo rende 100% do CDI, entende-se que ele rende, em média, o mesmo tanto que a Selic e, logo, está acompanhando a média do mercado de renda fixa.

O CDI é o principal benchmark para ativos como CDBs, Tesouro Selic, fundos de investimentos em renda fixa e multimercado justamente por acompanhar, de maneira tão próxima, a nossa taxa básica de juros.

Índices cambiais

Os benchmarks do mercado de câmbio são, justamente, as moedas fiduciárias de cada ativo desse mercado. Quando temos uma carteira bem exposta ao mercado europeu, podemos usar as variações de preço do Euro e da Libra Esterlina para analisarmos a performance da nossa carteira, por exemplo – apesar de não ser a única análise que deve ser feita.

Todavia, existe um índice cambial em específico que faz mais sentido para nosso cenário por ser mais presente em nosso cotidiano e, também, por estar relacionada à principal moeda de troca do mundo: o Ptax.

O Ptax é uma taxa de câmbio calculada pelo Banco Central do Brasil e consiste na média das taxas praticadas pelas instituições financeiras durante o dia. É ela que  expressa o famoso “preço do dólar”.

É o benchmark principal quando calculamos a performance de operações em moeda estrangeira feita no Brasil.

Índices acionários

Aqui chegamos na parte mais extensa quando falamos de benchmarks do mercado financeiro.

O mercado de renda variável possui alguns referenciais que devem ser levados em conta de acordo com a composição da carteira de investimentos. Dependendo dos ativos que estão em maior peso na carteira, muitas vezes iremos ter que considerar mais um benchmark do que outro para a avaliação ser precisa.

Confira, abaixo, os indicadores utilizados em cada situação

Ibovespa

O Ibovespa, Índice da Bolsa de Valores de São Paulo, é o mais importante indicador de desempenho que temos para a nossa bolsa de valores.

Ele é, em suma, uma carteira teórica de ações formada pelas ações com maior volume negociado nos últimos meses e representa cerca de 80% de todas as negociações em nosso mercado de capitais. Esse índice já conta com mais de 50 anos de vida e hoje serve de referência para investidores de todo o mundo.

É aqui que estão as blue chips, que são as principais e maiores companhias listadas em nossa Bolsa. Essas empresas tendem a ser mais financeiramente estáveis e são de alto renome nos cenários nacionais e internacionais.

Por conta do Ibovespa ser o índice que representa essas grandes empresas, ele é o Índice que deve ser usado como benchmark para análise de uma carteira que possua ações dessas companhias.

Muitas vezes a performance do Ibovespa pode ser distorcido por conta de que nem todas as empresas listadas possuem o mesmo peso. A exemplo disso, em números de julho de 2022, as três maiores empresas do índice carregam cerca de 25% de todo o montante do indexador.

De qualquer maneira, o Ibovespa é o principal referencial para as carteiras que tem grande exposição ao mercado acionário. Ele é o mais importante índice do mercado de capitais e por isso que está em primeiro lugar nessa lista.

IFIX

Sigla para Índice de Fundos de Investimento Imobiliário, o IFIX é calculado pela B3 e reflete o desempenho médio dos principais fundos imobiliários listados em nossa bolsa de valores.

Por conta dos FIIs serem um dos investimentos mais tradicionais e populares dentre os investidores em renda variável, é bom conhecer o índice referencial desse segmento e acompanhar sua performance.

Assim como o Ibovespa, ele também é uma carteira teórica dos principais fundos imobiliários do país e, neste caso, os participantes do índice possuem uma ponderação mais equilibrada, fazendo com a variação do IFIX seja mais fiel à, de fato, o momento econômico do mercado de FIIs.

SMLL

O Índice Small Cap, representado pelo código SMLL, é formado por ações de companhias de menor valor de mercado. Aqui entram empresas que não se encontram no Índice Bovespa.

As small caps são empresas listadas em bolsa que possuem menor capitalização e ao contrario das blue chips, que são empresas mais tradicionais e consolidadas do mercado, elas tendem a ter um maior potencial de crescimento, sendo também bem quista pelos investidores de renda variável.

Porém, como essas empresas são menores e não entram na lista das mais negociadas do país, elas possuem um referencial próprio. Por esse mercado ser menor e, em geral, mais volátil que o Ibovespa, o SMLL deve ser levado em conta apenas quando analisa-se as small caps.

IBrx50 e IBrx100

O IBrx, também conhecido como índice Brasil e IBX, é o indicador de desempenho médio das ações mais negociadas em todo nosso mercado acionário.

Como o próprio nome indica, o IBrx50 agrupa as 50 ações com maior volume de negociação na B3 e o IBrx100, as 100 ações com mesma característica.

Uma curiosidade desse índice é que o IBrX, apesar de conter a maior parte das ações que participam do Ibovespa, não é tão concentrado quanto. Isso quer dizer que as empresa que correspondem à uma grande fatia do Ibovespa não têm o mesmo peso no Índice Brasil.

Outro ponto interessante aqui é que, nesse índice, companhias do Ibovespa e do SMLL estão lado à lado. Isso ocorre porque a base de cálculo para o IBrX usa uma ponderação baseada no valor dos ativos que se encontram em circulação no mercado (também conhecido como free float).

Ambos os índices, tanto o IBrx50 quanto o 100 podem servir de benchmarks para carteiras de ações.

S&P 500 (SPX)

Esse benchmark é um tanto diferente dos outros pois é um indexador de um mercado internacional.

O SPX é uma carteira teórica das 500 ações mais representativas nas bolsas dos Estados Unidos da América, tanto a NYSE quanto a Nasdaq. É o principal indicador do mercado acionário norte-americano.

Este índice é importante principalmente para os investidores que possuem BDRs e fundos de investimentos em ações internacionais.

Apesar de muitas vezes, para os investidores brasileiros, ser preciso considerar a variação do dólar para medir o desempenho das carteiras e comparar os ativos de maneira correta, o SPX sozinho é o referencial que deve ser usado para portfólio expostos a esse tipo de mercado.

 

Conclusão

É recomendável que todo investidor saiba o que são benchmarks por alguns motivos.

Dentre todos os possíveis, destacaremos três:

  • Se manter mais antenado com relação ao momento de mercado;
  • Dar atenção especial para os benchmarks que sua carteira de investimentos está mais exposta;
  • Poder ver a eficácia de suas estratégias de investimentos ao longo do tempo.

Nós da W1 Capital nos comprometemos a te ajudar tanto com o melhor atendimento e as melhores dicas para que você tenha mais sucesso no mercado financeiro

Nosso time de assessores de investimentos está sempre preparado para te receber e informar sobre as mudanças que ocorrem nos mercados Brasil afora, bem como te apresentarão diversas oportunidades de investimentos únicas que podem alavancar sua carteira de ativos.

Entre em contato com nosso Time de Atendimento e seja um investidor conosco! Basta clicar aqui e você será redirecionado.

Além disso, se mantenha antenado em nosso blog para continuar recebendo mais dicas como sobre benchmarks e se mantenha sempre atualizado.

Deixe um Comentário